CUMPRIR A TRADIÇÃO - COSCURÕES DE NATAL


Todos os anos, em Dezembro e bem pertinho do Natal, há um dia especial em que cumprimos a tradição de fazer os Coscurões, uma receita natalícia tradicional portuguesa e obrigatória aqui em casa. Bem cedo, faz-se a massa, sova-se bem na pedra mármore (substitui, na boa, uma ida ao ginásio) e deixa-se descansar até quase ao final do dia. 


É uma receita que envolve um dia inteiro de dedicação, de manhã à noite, em toda a família gosta de participar e que fazemos com gosto. Neste dia sentimos verdadeiramente o espírito do Natal - uns fritam os coscurões, outros passam no açúcar e canela, outros passeiam-se na cozinha só para "roubar" um de vez em quando. É muito Amor.

A receita, que é da minha querida avó, sempre foi a melhor parte do Natal. São o símbolo do nosso natal e uma das boas recordações de infância que tenho desta época era quando os meus avós faziam estas delicias crocantes. A vida muda e nós com ela, adaptamos-nos. Faço estes coscurões com o meu marido, há alguns anos, porque não queremos que a tradição desapareça. A avó ainda participa e supervisiona, muito atentamente toda a confecção, porque afinal ela é a matriarca da família e acima de tudo dona da receita!  

Como os segredos são para ser partilhados, deixo aqui a receita, explicada da melhor forma possível, para que possam também começar a vossa tradição de Natal.


COSCURÕES DE NATAL

1kg de farinha sem fermento
7 ovos biológicos grandes
Levedura fresca ou fermento de padeiro *
Raspa e sumo de 1 laranja 
0,5 dl azeite morno
0,5 dl de aguardente
0,5 dl de água
1 pitada de sal
Açúcar e canela em pó para finalizar
Farinha para polvilhar
Óleo para fritar

Numa tigela, batemos os ovos inteiros. Aquecemos ligeiramente a água com uma pitada de sal e adicionamos a levedura fresca (fermento de padeiro) e dissolvemos muito bem, com a ajuda de um garfo.

Numa tigela grande, misturamos a farinha com uma pitada de sal e a raspa da casca da laranja. Abrimos uma cavidade ao centro e juntamos a água com o fermento dissolvido. Começamos a amassar, adicionando o sumo da laranja, a aguardente e o azeite morno. Continuamos a amassar juntando depois os ovos e trabalhando bem a massa, polvilhando com farinha se necessário, até ficar uma massa homogénea, lisa e macia.

Depois de bem amassada colocamos numa tigela polvilhada com farinha, fazemos um corte em cruz e cobrimos com um pano. Para ficar perfeita, deixamos a massa levedar lentamente num sitio quente, até pelo menos dobrar o tamanho. Fica leve e cheia de ar, garanto. 

Dividimos depois a massa em quatro partes para que seja mais fácil de trabalhar. Agora usamos uma maquina de estender massa, mas antigamente estendiamos a massa com o rolo de madeira, na bancada polvilhada com farinha, sempre até que fiquem o mais fino possível sem furar. Depois cortamos em pedaços com um corta-massas e fazemos uns cortes no meio.

Vai a fritar em óleo de ambos os lados. Retiramos, e depois de bem escorridas, passamos por uma mistura de açúcar e canela.

*normalmente compramos o fermento na padaria e pedimos o necessário para a quantidade de farinha que vamos usar. 

Com este post me despeço, desejando a todos um Feliz Natal e um 2018 Super!! Até para o ano!



Sem comentários:

Enviar um comentário

FOLLOW @FEDRA_F